Archive for Novembro 2013

O que um ecchi precisa ter para ser bom?


Na animação japonesa, existe algo que chamamos de arte. E essa arte pode ser resumida pela forma de como ela é trabalhada, se focando em alcançar determinado publico alvo. Nos narutos da vida temos um traço mais rápido e de fácil assimilação na mente, enquanto outro pode se focar no prazer visual.

Porém não vou falar de todo tipo de arte japonesa, muito menos dos narutos. Na postagem de hoje irei falar no meu ponto de vista o que é necessário ter nas putarias japonesas (mais precisamente Ecchi) para ele ser considerado bom. Ou seja, a postagem de hoje ta "muito boa", mas não se desespere, relaxe leia com calma e vamos nos divertir.

O ecchi se eu não tiver enganado significa "pervertido" onde são designados a animações japonesas onde a situação climática é sempre desfavorável fazendo ventos fortes levantarem as saias das garotas sem nenhuma explicação cientifica. Além dos diversos fatores onde o piso da escola sempre esta molhado fazendo o protagonista escorregar no chão liso e caindo de cara nos seios ou na calcinha da garota, fazendo ela gritar mas não ficar emputecida com o protagonista, onde isso na vida real nunca iria acontecer, ou não.

No mundo do ecchi o sol costuma ser muito forte, onde consegue tampar as partes de nudez do anime, mas desde que você compre um protetor solar chamado blu-ray o sol some sem a menor explicação plausível. No final o ecchi é muito focado em garotas que parecem deusas gregas onde essas garotas querem o mesmo cara, e no final o protagonista acaba pegando ninguém e quando pega, escolhe a garota mais chata.


Sabemos os elementos e as regras das perversões japonesas, mas afinal o que é necessário para o anime com esse tema ser bom. Ou até mesmo como esse elemento pode ser inserido nos animes para torna-lo interessante. O que vejo muita produtora de anime recorrer é seguir os padrões da maioria, que podemos chamar caso preferir de "genérico".

Colocamos um anime padrão, protagonista loser que da noite para o dia na escolinha tem seu harem com varias garotas. Onde no final o anime se resume a apenas ter cenas eróticas em cada episodio e com pouco ou quase nenhuma evolução dos personagens. Temos diversos animes com esse estilo, ele vai vender? Sim, vai. Porém não vai concorrer com outros ecchi que conseguem apresentar elementos que deixam o ecchi mais interessante.

Ecchi é algo normal na animação japonesa. Não tem para onde correr, a erotização é algo normal em qualquer anime e manga, inclusive naqueles que a erotização não é o principal. Para dar um exemplo vamos falar dos narutos. Os narutos eles tem como foco principal a ação, onde mostra um personagem que vai evoluindo e cada vez mais vão aparecendo inimigos mais fortes para ele derrotar.

Mas os narutos não ficam constantemente nisso. Em algum momento ele vai mostrar um episodio de comedia e sem lutas, da mesma forma que vai ter episódios de drama e reflexão. Os narutos são de ação, mas ficar apenas nisso se torna algo cansativo, e com o ecchi não seria diferente.


Assim como no ecchi ele tem variações. Em um momento podem estar mostrando a erotização, como depois podem estar apresentando uma evolução dos personagens e até mesmo um combate. Quando um ecchi fica apenas no ecchi ele é um anime que se foca apenas no publico mais hardcore, onde na maioria das vezes os seus personagens são completamente esquecidos depois que você deixa de assistir.

Não importa o quanto um ecchi seja bom no erotismo, se ele não apresentar momentos de comedia e um desenvolvimento do personagem, aquela experiencia vai ser completamente esquecida, fazendo ser apenas uma perca de tempo. Afinal você não precisa ver um anime para ver erotização em desenho japonês. Vá no Pixiv você vai ver vários desenhistas fazendo vários trabalhos com erotização, da mesma forma que você entrar nos "safeboorus" da vida você vai achar toda a safadeza que procura.

Da mesma forma que nos filmes ocidentais como American Pie e Se Beber não Case, apelam para erotização mais como complemento adicionam comedia, afinal piadas sexuais vendem e muito. Se é ver safadeza por safadeza é fácil encontrar na internet, não precisa perder 30 minutos para ver isso num anime. O que gosto de ver no ecchi é que o teor de humor, ou seja uma comedia romântica erótica, são muito boas para rir e divertem. Mas quando se foca apenas na safadeza a serie se torna vazia e deixa de ser interessante.


Não excluo o fato de ter os ecchi de ação como High School of the Dead, afinal safadeza e violência são uma bela combinação. Faz um bom tempo que não vejo animes ecchi e fico nos battle shonen (narutos se preferir). Apesar que nessa temporada teve dois animes ecchi que eu gostei: Yuushibu e Outubreak Company que estão me fazendo dar boas risadas.

No fim esse é o estilo de animação que gosto de ver no ecchi. Sei que tem vários públicos que gostam do estilo e muitas vezes gostam de ver o ecchi pelo ecchi. Afinal se tem isso é porque tem publico e por ter publico ele vende. Eu na minha opinião, gosto de um ecchi que me faça dar uma boas gargalhadas, onde consegue contrastar o erotismo, mas sem tornar os personagens verdadeiros pedaços de carne.

Enfim, essa é minha opinião sobre o que um anime ecchi precisa ter para ser bom, pelo menos pra min. Porém aqui não estou debatendo qual o padrão a ser seguido para ser bom e sim o que é necessário ter para ser bom para você, inclusive se você prefere o ecchi pelo ecchi. Em sua opinião, o que é necessário um anime ecchi ter para ele ser bom? De sua opinião e vamos alimentar o debate.

Posted in , | 15 Comments

O diretor de arte do jogo "Mother 3" participa da criação de um novo jogo.


Nobuhiro Imagawa foi o grande responsável pela arte dos jogos de Mother/Earthbound. Onde para aqueles que não conhecem a franquia Mother, podemos dizer que é um dos melhores JRPG que já surgiram, que mesmo hoje ainda continua sendo bem elogiado.

Agora o diretor de arte da franquia Mother participou da criação do jogo "The Knight & The Dragon" onde é um jogo mobile que roda tanto no Android quanto iOS. Além dele o jogo teve a participação de Yoko Shimomura responsável pela parte musical do jogo e que atualmente faz trilhas sonoras do jogo Kingdom Hearts.

O gameplay do jogo é bem simples como em qualquer jogo feito para smartphones. Mas logicamente em relação a outros jogos do gênero, você vai reparar melhores efeitos especiais, além de uma trilha sonora mais marcante. Os jogo já pode ser adquirido gratuitamente na Google Play.

Posted in , , | 1 Comment

Girls Und Panzer vai ganhar jogo para o PS Vita.


Animes que futuramente ganham jogos é algo relativamente normal, principalmente nessa era onde os jogos vendem mais que a industria do cinema.

Girls Und Panzer é mais um anime com garotas fofinhas que vai ganhar um jogo. A empresa responsável pela produção do jogo é nada mais nada menos que a Namco Bandai que já tem uma ótima experiencia na criação de bons jogos adaptados de animes. Bons exemplos de jogos que a Namco Bandai fez de bom foi a visual novel de Ore no Imouto e os jogos de luta de Naruto.

O jogo tem planos de ser lançado só no próximo ano para o console portátil da Sony o PS Vita. Como o jogo esta sendo produzido pela Namco Bandai, da para esperar algo bom vindo dai. Quem sabe o jogo apresente um bom gameplay e um bom envolvimento com o jogador. Um bom exemplo disso foi Ore no Imouto, onde não gostei do anime, mas achei o jogo para PSP muito divertido de se jogar.


Posted in | Leave a comment

Danganronpa esta sendo traduzido para o português.


Recentemente um grupo anunciou nas mensagens da fanpage do visual novel brasil que vai traduzir o jogo de Danganronpa para o português. Não é de agora que fansubs brasileiros de visual novel andam surgindo, e cada vez mais a velocidade de um novo aparecer vai aumentando.

No momento o grupo esta no inicio e precisa de pessoas que estejam interessadas em ajudar na tradução. Como muitos devem saber o Danganronpa para PSP já recebeu uma tradução para o inglês com a ajuda dos fãs, então para quem tem um bom nível de inglês pode ajudar bastante na tradução.

Caso você queira mais informações sobre o projeto e o grupo que está traduzindo o jogo, acesse o link abaixo.

link: http://danganronpabr.wordpress.com

Posted in , | Leave a comment

Conception II vai sair no ocidente. E a polemica desnecessária.


A Atlus Usa continua trazendo jogos japoneses para o ocidente. E desta vez é a hora do jogo Conception II desembarcar nessas terras, onde vai ter tanto sua versão de Nintendo 3DS e PS Vita traduzidas e localizadas.

O primeiro jogo da franquia que surgiu inicialmente para PSP, nunca foi localizado para o ocidente e teve até uma certa polemica (desnecessária) em relação ao jogo, por ter como tema você ter "filhos" com as personagens femininas do jogo. Onde fez vários portais de noticias de jogos que amam elogiar jogos de futebol e FPS, mas adoram zoar e polemizar jogos japoneses, mostrou um preconceito em relação ao jogo.

Porém os que criticaram nem ao menos jogaram o jogo, não tem nada de improprio ou proibido para menores. Simplesmente rola meio que uma união entre as personagens femininas e o protagonista, onde o sentimento de amor faz surgirem seres espirituais já com espadas e escudos e prontos para lutar. Não tem mulher parindo e muito menos tendo relação sexual, nem beijo tem(não que eu tenha visto).

A forma que Conception mostra esse lance de nascimento das crianças é numa visão muito infantil, onde a criança acha que para uma criança nascer o pai envia uma sementinha para a mãe e assim eles tem um filho. Enfim, um jogo desses sair no ocidente só mostra que realmente tem um publico que gosta desse tipo de jogo, e por ter um publico que empresas como a Atlus Usa se preocupam em ocidentalizar o jogo para agradar esse publico que cada vez mais anda crescendo. Não é a toa que cada vez mais é normal jogos com elementos de moe e erotismo japonês estarem surgindo por aqui.

O jogo vai ser lançado no próximo ano, tanto para PS Vita quanto Nintendo 3DS. E a empresa produtora do jogo é a Spike Chunsoft a mesma criadora dos jogos: Danganronpa, 999 e Pokemon Mystery Dungeon.


Posted in , | 3 Comments

Você é normal?


O entretenimento japonês é algo que agrada a muitos mundo a fora. Tanto no resto do mundo como no Brasil, que existem muitos seguidores que apreciam os seus jogos e animações. Apesar de certa forma ser algo que hoje em dia muita gente conhece, ainda é um entretenimento estranho para muitas pessoas devido a sua cultura e erotização que é muito presente em seus jogos e animações.

E como vejo fãs dessa cultura e lazer, tendem a se perguntar e até se sentirem culpados por não se declararem normais. Mas afinal o que é ser normal? Por que gostar das putarias japonesas é mais culpado do que homem se vestindo de mulher no carnaval?

Ser normal ou agir com a normalidade é algo que deve ser tão buscado para você se sentir bem com sigo mesmo? Ou apenas um elemento para se adentrar as normas da sociedade? A principio como disse inicialmente vejo muitos fãs da cultura japonesa que eu saco logo que tem problemas de admitir que gosta de determinada coisa na animação japonesa. Não é a toa que vejo muitos falando "Eu não vejo por causa do ecchi, assisto pela historia" onde isso não engana ninguém.


Muitas vezes essa pessoa que gosta das putarias japonesas, costumam ver um anime um pouco mais "intelectual" por fora para mostrar que não vê o anime só pela safadeza e sim pelo seu conteúdo. Afinal quem determinou que gostar de uma safadeza na animação japonesa e nos seus jogos é errado ou anormal? Simples, a própria comunidade.

Assim como a sociedade, a própria comunidade otaku também tem os seus pontos de normalidade, pelo fato de a maioria aderir aquele tipo de animação: tipo Naruto. Mas o que é o normal? Essa pergunta já foi respondida, onde é algo que a maioria adere. A normalidade nada mais é do que a maioria das pessoas segue, onde visto de um ponto de vista da sociedade são as normas que você segue para se encaixar dentro da sociedade, fazendo assim você ser considerado uma pessoa normal.

E é por isso que você se vestir de mulher no carnaval é normal, enquanto ir para evento de anime vestido de desenho é algo anormal, afinal isso não é algo que a maioria da sociedade segue. E nesse momento você se pergunta "então ser normal ou não, não tem nada demais", acredite para muitos isso tem, e no meio otaku principalmente no Brasil isso pode ser considerado até uma doença.


Afinal quem não sofre quando uma maioria gosta de uma coisa e você não? Logico não são todos que sofrem disso, muitos não estão nem ai, porem isso pode afetar a pessoa inclusive no meio otaku que muitas vezes sofre preconceitos onde ele não sabe como se defender desse assedio. Não se enquadrar a maioria para muitos pode ser difícil e até atormentador pelo pouco que vejo nos otakus nas redes sociais.

Essa doença tem um nome e se chama "Normose" onde inicialmente é um conceito na filosofia para se referir a normas, crenças e valores sociais que causam angustia, podendo levar até mesmo a morte. Um bom exemplo disso é o próprio Japão, onde a normose é o principal problema da sociedade que tenta adentrar nas normas que sua sociedade emprega, fazendo muitos que não se aderiram a viverem reclusos em casa e até mesmo levando o mesmo ao suicídio.

O problema é tão grande que até a família do jovem, deixa que o mesmo viva recluso no quarto para que a família não seja mal vista pela sociedade, por não ter um filho que passou na sociedade e tem um trabalho de prestigio. E no Brasil o que vejo é de pessoas que gostam de anime, mas tem medo de dizer que gosta disso para não sofrerem criticas, fazendo muitas vezes ela agir e seguir determinadas normas para adentrar naquele perfil social.


Afinal, você precisa ter medo de admitir gostar de tal coisa por ela não se enquadrar a maioria? Ou simplesmente admitir que gosta e não ligar para o que os outros pensam? É difícil dar uma resposta, afinal não sei de seus problemas, para min é muito fácil admitir caso me façam tal pergunta mas para outros pode se tornar algo atormentador.

Para esse caso não vou dar uma resposta concreta, mas um conselho. Gostar de algo visto pela minoria não é o problema, o problema é você se menosprezar por gostar de tal coisa. Não precisa sair dizendo que gosta de anime e das putarias japonesas, vai aparecer alguém de seu perfil na sua vida cotidiana mas cedo ou mais tarde. E sempre respeite o gosto das outras pessoas que tem algo que você considera uma droga. E não se esqueça, amigo de verdade nunca vai te julgar pelos seus gostos e sim pela maneira que você trata as pessoas.


Não se preocupe com a normose na comunidade otaku que condenam quem gosta das putarias japonesas e não dos narutos. Não existe esse negocio de "certo" no entretenimento, todos tem gostos diferentes e saber respeitar o próximo é a melhor coisa que você pode fazer, inclusive com os narutos. Enfim, esse é meu ponto de vista sobre a normalidade, mas você pode alimentar o debate comentando esse assunto, que aposto você já ter presenciado no seu cotiano.

Você acha que ser normal é algo importante, ou isso não é tão importante assim para te tornar um ser humano melhor?

Posted in | 13 Comments

Hyperdimension Neptunia Re;Birth 2 sai para PS Vita em março de 2014.


A serie com as garotas cibernéticas continua firme e forte no Japão. Onde isso fez mais um jogo da franquia ser anunciado para o PS Vita, onde vai ser o segundo jogo da serie Re;Birth.

Originalmente a franquia original surgiu no PS3 e até ganhou um jogo para o ocidente em 2011. Só que esse novo jogo no momento só foi anunciado no Japão e nenhum jogo da franquia para PS Vita foi traduzido para o ocidente. Porém os fãs ocidentais que tem PSN tem uma novidade.

A Nis America vai lançar no dia 27 de novembro deste ano, o jogo Hyperdimension Neptunia Victory na PSN. O jogo Hyperdimension Neptunia Victory já foi lançado em 21 de março deste ano, e para aqueles que querem gastar menos comprando a media digital essa é uma boa oportunidade.

No momento não se tem planos de trazer um jogo da franquia de PS Vita. Apesar que a Nis America está trazendo Demon Gaze e Danganronpa onde ambos são para PS Vita. Então ter um jogo de Neptunia para PS Vita não é algo fora de cogitação.

Posted in | 1 Comment

MangaGamer anuncia re-tradução de Higurashi.


Faz um certo tempo que a MangaGamer anunciou via twitter uma possível re-tradução da visual novel de Higurashi. Como sabemos, a visual novel "Higurashi no Naku Koro ni" já foi traduzida pela empresa, mas recebeu reclamações por terem censurado tanto o texto quanto o áudio do jogo.

Fazendo muita gente recorrer a patch não oficiais, onde corrigiam o áudio do jogo. Provavelmente a MangaGamer possa estar corrigindo todos esses erros que ela apresentou no lançamento do jogo e lançar um patch que resolva todos esses problemas.

Ou simplesmente re-lançar o jogo com todas as correções e com um preço especial. É uma boa ideia para pegar principalmente o publico que não jogou o jogo na época que foi lançado. O triste é que o feeling do jogo na época do lançamento não vai ser o mesmo, e isso pode atrair um pequeno publico para essa re-tradução, a menos que seja apenas um patch que corrige esses problemas indevidos.

Posted in , | 5 Comments

Danganronpa tem data anunciada para o ocidente.


O jogo "Danganronpa: Trigger Happy Havoc" (como vai ser chamado por aqui), teve a data anunciada para ser lançado aqui no ocidente.

Vale lembrar que o jogo vai sair para o PS Vita, e que o mesmo foi tirado do "Dangan Ronpa 1-2 Reload" que saiu no Japão onde vem os dois jogos da franquia em um unico jogo. A versão que vai sair para o ocidente é a metade do "Dangan Ronpa 1-2 Reload". Porém mesmo assim vale a compra para aqueles que tem posse de um PS Vita e que é um grande fã de jogos japoneses.

O jogo tem planos de sair no dia 11 de fevereiro de 2014 aqui no ocidente, onde de certa forma isso é um caso raro de acontecer. Ultimamente jogos japoneses como Ys, Demon Gaze e Danganronpa estão dando as caras no ocidente para o PS Vita, que por um lado é bom por mostrar que os jogos japoneses estão conseguindo o seu publico no ocidente, fazendo as empresas aos poucos começarem a olhar melhor o mercado ocidental.

Posted in , | 2 Comments

A maldita ostentação do vídeo game.


O vídeo game foi o entretenimento que se popularizou de uma maneira muito positiva ao longo dos anos, não é a toa que hoje em dia qualquer um sabe o que é um jogo. Afinal um jogo pode estar em praticamente tudo, desde um console de mesa a portátil, chegando até os PCs, tablets e smartphones.

A dificuldade em se obter um jogo é bem mais tranquila em relação a 10 anos atras, principalmente agora que tem empresas que fazem jogos leves para pegar a grande massa, alem de termos os emuladores para quem não aproveitou tal geração do vídeo game. Mas como todo entretenimento que se populariza, costuma surgir certos comportamentos na sociedade, onde muitas vezes podem ser bem bobos se analisarmos bem.

O que vejo acontecer muito no vídeo game hoje em dia, é o que vejo acontecendo nessa geração dos smartphones, a tal da ostentação. Sendo o mais breve possível, a ostentação seria basicamente mostrar que tem domínio de tal propriedade material, e demonstrar para o mundo que tem posse daquilo. Tipo você ter o iPhone, afinal não é qualquer um que consegue ter um iPhone. E isso não é algo que só se resume a celulares, isso vai desde carros, produtos de luxo, roupas e agora o vídeo game.


Muitas vezes o cara compra um console como o PS3 e só compra dois jogos: Fifa e Battlefield. E fica indo em portais de noticia falar dos jogos que tem, e criticar todos os outros jogos que ele não tem e não faz seu perfil (futebol e fps). Ele tem seu PS3, e fica falando bobagem do Xbox 360 e o povo do Xbox 360 fica falando bobagem do PS3. Mas o povo sonysta e caixista brigam por um simples fato: eles querem ostentar que o seu console é superior e não se os jogos divertem eles.

O mesmo acontece com o PC Gamer, que fala que vídeo game é uma droga, só por que não tem a mesma potencia de seu computador Alienware de R$ 8,000. O que acontece com o publico de gamer hoje em dia é o mesmo que acontece com o consumidor de smartphones. Aquilo que servia apenas para brincar e era visto como um brinquedo, agora ganhou um valor. E esse valor é muito usado para demonstrar status, e o mais triste é que as empresas sabem disso e se aproveitam do mesmo.

Em vez de demonstrarmos jogos com melhor jogabilidade, hoje em dia o marketing é o jogo ter gráfico poderoso, para você mostrar aos seus amigos o poder de seu brinquedinho. O grande publico é influenciado pelo status da coisa, e nem se preocupa muito se os jogos apresentam uma melhor jogabilidade e diversão. O mais importante é que o jogo tenha mais poder gráfico e que o mesmo possa floodar a timeline do twitter e facebook com aqueles achievements inúteis que não agregam valor nenhum, e que só servem para fazer a propaganda que você tem um jogo de determinado console.


Será que estamos esquecendo o mais importante de ter um vídeo game, que é pelos jogos e não pelo poder do aparelho? Isso me faz lembrar de discussões que eu via a respeito do PS Vita, onde o mesmo é um console portátil da Sony que não se deu bem e tem poucos jogos.

Mas afinal o que seria "poucos jogos" para o PS Vita? Seria poucos jogos para determinado consumidor adquirir ou poucos jogos em relação aos concorrentes? Na minha opinião o PS Vita é um console portátil que quis oferecer jogos de console de mesa num portátil, onde ao meu ver um console portátil tem que oferecer jogos portáteis, se é para jogar jogos de mesa a experiencia vai ser melhor num console de mesa.

E foi essa uma das táticas do PS Vita fizeram muitos jogos que já tinham no PS3 irem para ele. Mas mesmo assim tem uma gama de jogos que você pode jogar no console portátil, principalmente para você que prefere jogar num portátil e não num console de mesa. E tem bons jogos de RPG para o portátil que valem a pena serem jogados.


Em relação aos concorrentes o PS Vita tem poucos jogos, mas não vejo coerência em falar que tal console tem poucos jogos, faz parecer que você vai comprar a maioria dos jogos que lança, onde na maioria das vezes você só compra no máximo 10 jogos para o seu console, ou apenas um jogo de futebol.

Essa geração gamer olha muito reto, se olhar para os lados você vai ver bons jogos que você não jogou e que agora tem a possibilidade de jogar. Ficar só vibrado nos lançamentos e esquecer o que pode ser adquirido agora, vai fazer você perder boas horas de diversão, principalmente se você gosta de J-RPG. Não me considero um retro-gamer, pra min esse rotulo é desnecessário, não exitem jogos velhos, só existem aqueles jogos que você ainda não jogou.

Enfim, qual sua opinião sobre a ostentação pelo vídeo game? Você acha que deixamos de lado a diversão dos jogos e nos focamos mais em possuir tal console, ou isso não acontece nessa geração?

Posted in , | 9 Comments

BlazBlue: Chrono Phantasma tem data anunciada para o ocidente.



O novo jogo de luta da franquia de BlazBlue já foi lançado no Japão, e pelo que parece a Arc System Works não vai demorar muito tempo para lançar o jogo no ocidente.

O lançamento do jogo aqui no ocidente foi confirmada. Vai sair no mês de março de 2014, ganhando até versões limitada onde na compra vai vim: artwork, soundtrack CD, poster com o movimento dos combos, alem de uma figure.

O novo jogo da franquia teve uma grande evolução no modo historia, onde esta sendo o principal atrativo deste jogo, onde deixar de jogar esse modo você vai estar perdendo grande parte da experiencia. Diferente dos outros jogos BlazBlue: Chrono Phantasma é exclusivo para PS3, e não vai sair para XBOX 360.

Posted in , | 2 Comments

Narcissu 1+2 pode sair na Steam.


A visual novel de Narcissu é uma obra doujin que ficou bem popular entre o gamers de visual novel graças aos fansubs. Hoje em dia você pode baixar facilmente os dois primeiros jogos da franquia em inglês. O ultimo jogo lançado de Narcissu foi em 2009 e tem até versão para PSP.

O mesmo grupo que traduziu os dois primeiros jogos, pretende lançar os jogos gratuitamente no Steam Greenlight, onde é um serviço da Steam que serve para decidir se o jogo entra ou não entra no catalogo da Steam. E quem decidi isso são os próprios usuários da Steam que dão seus votos e comentários, que se for uma quantidade satisfatória o jogo entra no catalogo da Steam para a compra do mesmo.

Você pode dar o seu apoio ao projeto e quem sabe futuramente poder adquirir o jogo pela sua conta na Steam. Agora resta saber se a empresa do jogo vai apoiar isso também, lembrando que os dois primeiros jogos da empresa são gratuitos, menos o terceiro jogo. E a versão que vai estar disponível na Steam vai ter os dois idiomas: japonês e inglês

link: http://steamcommunity.com/sharedfiles/filedetails/?id=191616515

Posted in | 4 Comments

Hatsune Miku: Project Diva F vai sair para PS Vita no ocidente.


Parece que a minha previsão aconteceu. o jogo Hatsune Miku: Project Diva F para PS3 vendeu bem aqui no ocidente, onde isso fez o CEO da Sega dar um sorriso de vitoria no rosto e olhar com melhores olhos o mercado ocidental. Graças as boas vendas, a versão para PS Vita do jogo vai sair no próximo ano para PS Vita através de download digital na Playstation Network.

No momento uma venda física do jogo de PS Vita não foi divulgada para o ocidente. Aposto que muitos que não jogaram o jogo se pergunta; pra que jogar um jogo desses num portátil? A resposta é simples, esse jogo foi feito para um portátil. A franquia de Hatsune Miku: Project Diva nasceu nos portáteis da Sony, alem que ele foi feito justamente para ser um jogo portátil, onde é perfeito para você dar uma jogadinha rápida como qualquer jogo desse tipo faz.

A versão para PS3 pode ser bonita, mas é basicamente jogar um jogo portátil num console de mesa, e a experiencia não é tão proveitosa quanto num portátil. No momento a Sega não tem planos de trazer para o ocidente o Hatsune Miku: Project Diva F 2nd, que vai ser lançado no Japão em 2014 tanto para PS Vita quanto para PS3. Se as vendas forem boas, e os fãs insistirem provavelmente a Sega vai lançar esse jogo no ocidente também, oremos.



Posted in , , , , | Leave a comment

O anime é genérico. Sim, e dai?


No inicio o jovem se encontrava na caverna, e suas maiores diversões eram sua TV e seu vídeo game Dynavision. Limitado principalmente a esses objetos de entretenimento, o jovem acabou conhecendo desenhos de todo o gênero, mas um estilo de animação ele ficou encantado que era a animação japonesa, onde hoje em dia se chama de anime (e se você falar que não, você ta errado).

O jovem estava feliz, ali era a sua realidade enquanto olhava para a TV que se encontrava no fundo da caverna. O tempo passou e ele continuou feliz com seus desenhos e seus tokusatsus, com aquelas estranhas musicas japonesas onde o cara cantava uma coisa e o máximo que ele entendia era "E o cara tossiu!".

O tempo passou, num dia como outro qualquer uma pessoa estranha entra na caverna. Essa pessoa mostrou ao jovem uma coisa peculiar chamada "internet". No inicio o jovem não se interessou, até saber que na internet ele poderia baixar todos os animes que saem no Japão com áudio japonês e com legendas em português. O estranho o leva para fora da caverna e sua vista é queimada pelo poder luminoso da internet. A luz de fora da caverna mostra a ele vários animes, num ritmo acelerado e ininterrupto.

Ele fica feliz, o estranho também fica feliz. Porem o sorriso do jovem se cessa, e o estranho pergunta "O que aconteceu?". De repente o estranho é apunhalado com uma faca enfiada pelo jovem, e o estranho pergunta "Por que?" e cai morto no chão. Depois disso o jovem responde "Esses animes são muitos genéricos, a minha época era melhor". E foi assim que surgiu o termo "anime genérico", não necessariamente nessa ordem.


Hoje em dia assistir anime não é difícil, é extremamente fácil. Você pode recorrer a locadora de torrents onde da para pegar o anime em poucas horas depois de ter sido lançado e com legenda. E também temos a forma "correta" que é com o Crunchyroll, onde fazendo uma assinatura você pode assistir seus animes em streaming.

Basicamente você pode obter praticamente tudo que sai no Japão em termos de animação japonesa, desde o hentai ecchi, até obras mais infantis. O grande problema é que o ser humano tem uma coisa chamada "nunca estar satisfeito", fazendo ele reclamar de justamente por ter muitos animes para ver. Alem que fez muita gente ter preguiça para pesquisar o que deseja assistir.

Como o grupo otaku costuma rotular tudo, eles inventaram um termo chamado "Anime genérico". Onde seria animes que tem similaridades com outros animes, assim como os animes shonen costumam ser de luta, e animes de shoujo são de romance. E alguns reclamam que o anime ter abertura é algo muito genérico. Enfim, isso é algo que você vai ver muito nas comunidades otaku.

O termo "genérico" significa outra coisa, mas como o publico rotulou dessa forma, vou falar da maneira como foi retratado. Como foi mencionado o "anime genérico" seria aqueles animes que pegam referencia a estilos similares a outras obras. Nos animes, mangas, jogos, filmes (tudo) pegam similaridades de outras obras de entretenimento. Assim como animes de porrada shonen pegam referencias de outros animes de porrada, filmes de ação e policial pegam referencia a outros filmes de ação e policiais.


Mas como podemos reparar quem se preocupa muito com isso é o publico otaku. Enquanto muitas pessoas assistem um filme por ver, sem se preocupar muito com isso. Com o publico de anime, isso é levado entre alguns de uma maneira muito seria, fazendo alguns até deixarem de acompanhar tal anime por ele ser genérico. Será que um anime ser genérico ele logo é um anime ruim? É logico que não.

Isso é extremamente comum em qualquer obra áudio visual, isso não vai mudar. E não vai ser isso que vai determinar se tal obra é ruim ou não. Animes sempre tiveram isso, o que pode estar acontecendo é que esse publico pode estar se cansando de ver animes, então nesse caso é sempre bom procurar outros tipos de entretenimento como jogos, filmes e livros.

Nunca vi problemas em ter animes similares e com o mesmo estilo. Gosto de animes de ação com suas shonenzices, gosto desse entretenimento. Da mesma forma que gosto muito de jogos de RPG, Puzzle e Simulator. De fato posso não ter um conhecimento tão bom quanto outros blogueiros em relação a esse "sentimento" em relação a animação japonesa.


Não me identifico como otaku, e muito menos me rotulo como um. Pra min vejo anime como uma forma de entretenimento assim como jogos, filmes, livros e bloggar. Vejo isso apenas como um lazer, e percebo que pessoas mais adentradas aos animes de certa forma, se irritam com certas brincadeiras. De fato hoje em dia temos um grande excesso de entretenimento, então é necessário moldar o que você deseja assistir. Da para dar uma boa filtrada olhando sites como myanimelist, onde da para buscar informações de que estilo o anime é, alem de ter uma sinopse do mesmo.

Anime genérico é algo que sempre vai existir, e esse rotulo não vai determinar se o mesmo é bom ou ruim. Eu vejo isso como uma forma besta de se analisar uma obra de animação japonesa, que acaba não transmitindo nada a pessoa de como é a narrativa daquela obra. Considero esse um assunto bem extenso onde pode gerar varias opiniões diferentes a cerca do assunto.

Em relação a "Anime genérico", qual sua opinião em relação a esse rotulo que é muito usado hoje em dia? Você acha que um anime ser genérico é algo ruim, ou uma coisa não tem nada a ver com a outra?

Posted in | 13 Comments

Disgaea 4 chega no próximo ano para PS Vita.


Disgaea é uma famosa franquia de jogos de RPG Tático que continua sendo famosa até hoje. Conhecida por suas longas horas de jogatina, além de ter um sistema rápido e fácil de jogar, sendo um jogo tatics perfeito para quem nunca jogou ou não gosta de rpg tático.

Disgaea é um jogo que sai em consoles, mas em todas suas versões até agora ganharam uma versão para o console portátil da Sony. Disgaea 1 e 2 ganhou ambas versões para PSP. O jogo Disgaea 3 de PS3, ganhou um jogo para o PS Vita. E com o Disgaea 4 a historia vai se repetir. O port do jogo vai se chamar "Disgaea 4 Return" e vai ser lançado no mês de janeiro de 2014 no Japão.

O jogo provavelmente vai ganhar versão em inglês, assim como suas outras versões também ganharam. Disgaea sendo um jogo de tatics rpg, é um jogo perfeito para jogar num portátil. As batalhas costumam ser rápidas, e você poder dar aquelas jogadinhas de 30 minutos em qualquer lugar é algo que soa como uma luva para esse tipo de jogo.



Posted in , | 1 Comment

Record of Agarest War vai sair para Android.


Depois de ser lançado no ocidente para XBOX 360 e PS3 "Record of Agarest War" ganhou uma versão para PC recentemente na Steam, onde de certa forma popularizou o jogo um pouco mais em relação as suas versões para consoles. Afinal com uma propaganda dessas é difícil o jogo vender entre as para o publico ocidental, inclusive para quem curte esse tipo de jogo.

Em relação a versão PC, a propaganda foi melhor executada. Mas parece que a historia não parou por ai. Agora a Idea Factory vai lançar o "Record of Agarest War" também para aparelhos Android. No momento nenhuma versão foi confirmada para o iOS, o que é algo raro de acontecer.

Logo na sua divulgação do trailer do jogo para Android, já é mostrado uma versão em inglês do jogo para o aparelho. Ou seja não vamos ficar de fora da novidade. Como Android é um sistema feito para Smartphone e Tablets a redução gráfica é visível, além do jogo ser mais leve que as versões de console e PC. Enquanto o jogo pesa uns 8 GB de armazenamento, a versão para Android vai pesar 1.8 GB.

Provavelmente vai exigir um aparelho um pouco potente para rodar o jogo, mas nada muito exagerado como nos jogos da Square Enix.




Posted in , | Leave a comment

A Key retira o "Documentário de 15 anos da Key" do Kickstarter.


Parece que finalmente o obvio aconteceu. A empresa Key ficou sabendo sobre o documentário feito pelo fã "Clannad-Man" no Kickstarter.

Para você que não esta sabendo vamos re-capitular. Recentemente um fã gringo dos jogos da Key, que tem o pseudônimo de "Clannad-Man", entrou com um projeto no Kickstarter, onde seria um site que pede uma quantia x para iniciar determinado projeto, caso alcance  o lance exigido o projeto acontece, caso não o projeto é cancelado e todo dinheiro devolvido aos apoiadores.

Enfim, o Clannad-Man iniciou esse projeto no Kickstarter pedindo $20,000 se eu não estiver enganado, para fazer um documentário de 15 anos da empresa. O projeto aparentava ser bem serio, mesmo assim o nível de doações não estava indo tão bem para alcançar a proposta exigida.

Como na internet é fácil obter informações, essa novidade acabou entrando nos ouvidos da empresa Key, que entrou com o pedido de remoção do projeto Kickstarter. No final da historia, não devemos ficar surpresos, isso é algo que iria acontecer de qualquer jeito. Principalmente quando você tenta usar o nome de uma empresa para arrecadar dinheiro.

Não culpo a Key nesse caso, ela só esta protegendo a sua marca, porém gostaria que casos como esse fossem um exemplo para a empresa olhar mais para o ocidente. E quem sabe começar a investir os seus jogos para o grande publico de fãs que gostariam muito de obter um jogo oficial por aqui.

Posted in , | 3 Comments

Emuladores influenciam a pirataria?



No inicio da internet discada no Brasil e no mundo, usava-se essa maravilha tecnológica apenas pra duas coisas: chat no IRC e baixar gifs pornográficos. Mas aos poucos a velocidade da internet foi melhorando e a "banda larga" foi adentrando em nossos lares numa velocidade de tartaruga, porém a informação que ela trazia ia numa velocidade mais satisfatória.

E muitas dessas informações falavam sobre uma palavra que na época era algo estranho, só que hoje é algo bem comum: emulador. Onde esses programinhas nos dão a possibilidade de jogar vários joguinhos no PC da época do nintendinho, master system, atari. Ate o Super Nintendo e assim por diante. Hoje em dia esses emuladores podem ser usados até no seu smartphone Android e iOS, onde podem lhe proporcionar varias horas de diversão em qualquer local. Mesmo com todas as vantagens da emulação, um debate sempre era debatido em relação a esses programas; sobre se emulador é considerado pirataria.

Se analisamos na lei, o emulador em si não é pirataria. O fato de adquirir as roms para praticar a emulação é que é contra lei. De fato na historia da humanidade, ninguém nunca foi preso por jogar num emulador, onde rolar um processo por traz disso não seria algo tão proveitoso para a empresa. Afinal a grande filosofia da emulação é pegar jogos de consoles que não vendem mais, para assim quem jogou os consoles daquela época possa reviver ou jogar jogos que não teve a oportunidade de jogar naquele período.


E também os emuladores podem ser usados, para pessoas de novas gerações jogarem jogos clássicos e que nunca tiveram a oportunidade de jogar, afinal jogo velho não existe o que existe é aquele jogo que você não jogou. Assim como filmes e livros, os vídeo games são uma forma de arte e de cultura, e os emuladores fazem um excelente papel para resgatar esse imenso arsenal de jogos.

Vejo na internet muitos "retrochatos" que falam que emulador é pirataria e isso prejudica a industria de games, alem de isso ajudar o crime organizado (pagar imposto também ajuda viu). Eles reclamam que não importa a era, o jogo tem que ser pago devidamente para respeitar a obra. Ai pra isso existe jogos clássicos sendo vendidos a $1.00 nas lojas virtuais da Nintendo, Sony e Microsoft, então não existe a necessidade de pagar um vídeo game e jogo antigo usado que sai mais caro que os jogos atuais. Porém o "retrochato" consegue ser tão chato quanto o usuário de iPhone que reclama do capitalismo, mas coloca senha no Wi-Fi. Mas vamos seguir a linha de raciocínio do "retrochato".

Você compra o console e o jogo antigo, porém a empresa não vai ganhar essa grana, pelo fato do console ser usado. Logo a grana usada na compra desse console já foi feita pelo primeiro comprador. A sua grana não vai para empresa e sim para o dono do console que esta vendendo no mercado livre. Então não ha motivos de extress, caso tenha um console você pode comprar os jogos antigos para ele, e caso não tenha esse jogo você usa o emulador para jogar ele. A industria vai ganhar no final.


Sabemos que os emuladores servem para você jogar jogos de consoles que pararam de serem fabricados. Não tem problema nenhum nisso, mas ultimamente não esta sendo sempre assim. No caso do emulador de Nintendo DS, o emulador foi feito na época que ele existia, onde dava para jogar os jogos de lançamento do portátil no seu PC, sem grandes problemas. Nesse ponto a emulação considero algo errado, afinal o console ainda existe e os jogos são recentes, onde de certa forma isso prejudica o console. No caso do emulador de PSP funcional surgiu muito depois de lançarem o PS Vita, então ter um emulador funcional de PSP nesse ano não é algo tão prejudicial, afinal o foco recente é no novo console e não se fabricam mais jogos para o PSP pelo que eu saiba. E como vimos recentemente a historia se repitiu mais uma vez.

Depois do lançamento do Pokemon X & Y para Nintendo 3DS, um grupo de desenvolvedores estão construindo um emulador de 3DS com uma funcionalidade principal, que é emular o jogo de Pokemon X & Y. De fato não é novidade surgir um emulador de console portátil da nintendo depois que surge um jogo de Pokemon para o mesmo, e desta vez não foi diferente. Mas a Nintendo se antecipou a isso, afinal agora da para ter partidas online, alem de poder trocar Pokemons online com seus amigos. Um emulador nunca vai proporcionar esse experiencia, onde é algo que a Nintendo anda investindo bastante nos seus jogos para 3DS onde é a socialização online.


Porém para quem só jogar o jogo pela diversão e desafio, e não esta nem ai para a socialização online, o emulador é algo bem vindo. A emulação nessa era atual é errada, mas não vai ser tão prejudicial como foi na época do Nintendo DS. Ter emulador de consoles da Nintendo nunca foi algo de outro mundo, e sempre tendem a serem os melhores emuladores produzidos.

O cara não quer comprar nenhum console da Nintendo, mas quando surge um emulador do mesmo, compra até um controle de Wii para jogar ele no emulador Dolphin. E com 3DS vai ser a mesma coisa, alem que já ter uns fazendo emulador de Nintendo Wii U. Sempre vão existir pessoas que vão ser contra ou a favor de emuladores. Uma coisa é certa, eles estão ai pra ficar, mas não conseguem ser tão prejudiciais quanto você destravar o seu vídeo game e jogar jogos piratas.

Na minha opinião os emuladores são mais benéficos que maléficos. Graças a eles eu posso conhecer jogos que não tive oportunidade de jogar na época, alem de jogar jogos como: Super Mario Bros 3 e Alex kidd in miracle world que mesmo zerando varias continuo jogando até hoje. E hoje em dia graças aos smartphones, jogar jogos de Game Boy Advance nunca foi algo tão satisfatório. Jogar jogos como: Puyo Por Fever, Pokemon Pinball e Harvest Moon num aparelho portátil é algo muito agradável, para aquelas jogatinas rápidas de 30 minutos.

Enfim, qual sua opinião sobre emuladores? Você acha que eles são prejudiciais a industria de games ou são uma bela forma de biblioteca de jogos? E fale, quais jogos antigos que você joga até hoje graças aos emuladores?

Posted in , | 5 Comments

Ef - the latter tale chega no final do ano.


A MangaGamer anunciou que a parte final de Ef vai sair no final do ano. Mais precisamente no dia 20 de Dezembro deste ano.

A historia de Ef é dividido em duas partes, onde cada historia tem seu protagonista e sua rota especifica. A visual novel da minori é muito bem elogiada, tanto no jogo quanto no anime por apresentar um bom teor de drama na historia, alem de debater muito bem sobre os problemas pessoais dos personagens.

O primeiro arco do jogo não vendeu muito bem aqui no ocidente, e também os consumidores não parecem muito interessados com o jogo. Afinal a historia se divide em dois arcos, o que aumenta mais os riscos de venda. Se o cara não curte o primeiro jogo, as chances dele comprar o segundo são bem pequenas.

Você já pode fazer a sua pre-venda no site da MangaGamer, onde no momento estão oferecendo um pequeno desconto pelo jogo. Para mais informações acesse o link abaixo.

link: http://www.mangagamer.com/detail.php?goods_type=1&product_code=97

Posted in , , | Leave a comment